Guia para o Grand Canyon, no Arizona

O Grand Canyon é uma gigantesca falha no terreno, tendo cerca de 440 quilômetros de extensão, quase dois quilômetros de profundidade e largura variando entre 200 metros a 27 quilômetros. Localiza-se no noroeste do estado americano do Arizona e recebe mais de 5 milhões de visitantes por ano.

O vento, a chuva e a erosão são os responsáveis pela construção desta maravilha da natureza. O rio Colorado também contribuiu para a sua formação, sendo que ao longo dos séculos foi abrindo caminho por entre as rochas, criando uma incrível corredeira entre os paredões de rocha.

Para conhecer o Grand Canyon você pode optar por três principais pontos: a borda norte (North Rim), a borda sul (South Rim) e também o lado oeste (West Rim). Embora as bordas sul e norte estejam a menos de 20 quilômetros de distância, elas são bem diferentes. A borda norte é cerca de 300 metros mais alta do que a borda sul, sendo também mais distante das principais cidades e tendo menos infra-estrutura do que a borda sul. É importante optar pelo lado que mais lhe agradar, porque para ir da borda sul até a borda norte, embora seja possível avistá-la, será necessário percorrer centenas de quilômetros para chegar de carro até a outra borda.

O West Rim é administrador por índios, sendo independente do Grand Canyon National Park. Lá se localiza o Skywalk, incrível plataforma de vidro construída sob o canyon, proporcionando lindas vistas. É o ponto de visitação do canyon mais próximo a Las Vegas.

Como a maioria dos turistas, optamos por conhecer o South Rim, que é a borda com melhor infra-estrutura e diversas opções de atividades, indo do alpinismo até caminhadas por trilhas no desfiladeiro do canyon.

De Las Vegas até o Grand Canyon são aproximadamente 440 km. Uma boa opção é pegar a histórica Rota 66 (Route 66) na cidade de Kingman, já no estado do Arizona, e nela seguir até Williams, cidade conhecida por ser a porta de entrada ao Grand Canyon. A estrada é bem conservada e, tirando o trecho sinuoso que passa pela represa Hoover Dam, é praticamente só reta. Embora a tentação de pisar fundo seja grande, observe a sinalização dos limites de velocidade.

A entrada do Grand Canyon National Park custa $25 dólares por carro, válida por 7 dias consecutivos. Além de dinheiro, aceita-se cartões de crédito.

Ao chegar no parque, você pode deixar o carro no primeiro estacionamento e utilizar o sistema de transporte público gratuito do parque, que para nos principais pontos e tem uma boa frequência.

Caso prefira, pode seguir de carro percorrendo o trajeto do ônibus. Não é permitido fazer de carro o caminho do ônibus vermelho (Hermists Rest Route). Assim, você deverá estacionar no Grand Canyon Village e lá seguir de ônibus.

Após conhecer o Market Plaza, uma opção é pegar a linha Azul (Village Route) e ir até o Grand Canyon Village.

No Grand Canyon Village, pegue a linha vermelha (Hermists Rest Route). Esta linha passa pelos principais pontos de observação e começo de trilhas pelo desfiladeiro que levam até a base do canyon.

Fomos descendo em todos os pontos. Após descer, o ponto de observação principal está a alguns metros de caminhada, sendo bem sinalizado. Cada ponto oferece vistas incríveis do Grand Canyon e em algumas delas é possível avistar o rio Colorado.

A distância entre alguns pontos do ônibus é curta, sendo convidativa para uma caminhada. A trilha oferece lindas vistas do Grand Canyon. Observe a distâncias entre um ponto e outro no mapa que lhe entregaram ao pagar a entrada. Como o ônibus demora de 15 a 20 minutos para passar, pode ser mais rápido ir caminhando até o próximo ponto de observação.

Mesmo que você não tenha a intenção de descer até a base do Canyon, vale a pena pelo menos caminhar um pouco em uma das trilhas que leva até a base.

Após chegar ao último ponto da Hermist Rest Route, pegue o mesmo ônibus até o Grand Canyon Village e depois pegue novamente a linha azul até o Market Plaza.

Chegando novamente perto do estacionamento, pegue desta vez a rota verde (kaibab Trail Route). O trajeto desta linha é curto, mas também tem bons pontos de observação.

Um bom mirante é o Desert View, que tem uma torre de observação e acessível por carro.

 

Onde ficar

No South Rim, há algumas opções de hospedagem dentro do Grand Canyon National Park. Os preços costumam ser um pouco elevados. Recomenda-se reservar com antecedência.
Uma opção com preços mais acessíveis é ficar hospedado em uma cidade próxima ao Grand Canyon. A cidade Tusayan fica a cerca de 15 km da entrada do parque. Outra opção é ficar na cidade de Williams (distante cerca de 100 km da entrada do parque), que tem diversos hotéis e também bares e restaurantes típicos do Arizona. A cidade de Flagstaff, fica depois de Williams e oferece um típico clima de velho-oeste, com muitos bares típicos. É também uma boa opção de hospedagem na região. Fica próximo de Sedona.

 

Principais trilhas no South Rim do Grand Canyon

 

Bright Angel Trail

A Bright Angel Trail é a trilha menos íngreme para descer até a base do cânion, mas também é a mais extensa. São cerca de 25 quilômetros até o rio (ida e volta). Você precisará atravessar o rio por uma ponte para chegar até o acampamento. Não é recomendado ir e voltar no mesmo dia, devido a grande distância e principalmente que na volta você terá que subir dos 750m aos 2100m.

 

South Kaibab

A South Kaibab é a trilha mais curta e mais íngreme. Seu início é na Yaki Point Road, na Desert View Drive. Do início da trilha até o rio são cerca de 10 quilômetros. Ao alcançar o rio, terá que caminhar mais um pouco até o acampamento, que fica do outro lado do rio. Não é recomendado descer e subir no mesmo dia! Vale a pena fazer pelo menos um pouco dessa trilha, pois as paisagens são lindas.

A trilha é muito bem mantida e sinalizada, com banheiros em determinados pontos.

No meio da trilha já é possível avistar o Colorado River!

 

Dicas

– Os melhores horários para fotos do Grand Canyon são no início da manhã ou ao entardecer, quando o sol está refletindo nas rochas.

– No verão as temperaturas são elevadas. Procure andar sempre com uma garrafa d’água.

– Para fazer um bate-volta ao Grand Canyon desde Las Vegas, procure sair bem cedo para chegar ao parque por volta do meio-dia.

– Um passeio interessante é ir de trem ao Grand Canyon desde a cidade de Williams (Grand Canyon Railway – http://www.thetrain.com).

– Em Las Vegas, várias agências oferecem passeios ao Grand Canyon. Existem passeios de ônibus, avião e até helicópetro. Em sites como o Expedia.com você pode conhecer e fazer reservas para os passeios / tours.

– Uma excelente aventura no Grand Canyon National Park é fazer uma das trilhas que levam até a base do canyon. O South Rim oferece várias trilhas que levam até a base. As trilhas são muito longas e recomenda-se não descer e subir no mesmo dia. Em horários pré-determinados o parque oferece guias que iniciam a trilha com as pessoas.

 

5 thoughts on “Guia para o Grand Canyon, no Arizona

  1. Parabéns, foi a exposição mais clara, didática e útil que eu li sobre esta maravilha da natureza….mes que vem estarei lá!

Deixe uma resposta